TOC

Os sintomas do TOC (Transtorno Obsessivo-compulsivo) tipicamente começam na infância ou na adolescência.

Imagem Transtorno obsessivo-compulsivo

Estudos realizados nos Estados Unidos mostraram que o surgimento desse transtorno mental após os 35 anos é bastante incomum.

Sintomas do TOC

A doença é clinicamente caracterizada por obsessões e/ ou compulsões.

As obsessões são pensamentos, impulsos ou imagens mentais. São vivenciadas como indesejadas e trazem grande sofrimento aos pacientes. Vejamos um exemplo de TOC com obsessões.

As compulsões são comportamentos repetitivos ou atos mentais que o indivíduo tem a necessidade de realizar. Servem, em alguns pacientes, para aliviar as obsessões apenas de forma momentânea. Um quadro de TOC com obsessões e compulsões encontra-se no exemplo seguinte.

A sintomatologia do transtorno obsessivo-compulsivo pode variar bastante entre as pessoas. Mas os principais temas das obsessões e compulsões estão resumidos a seguir.

  • Limpeza: obsessões (pensamentos) de contaminação, compulsões de limpeza.
  • Simetria: obsessões (pensamentos) de simetria, compulsões de contagem, repetição e organização.
  • Tabus: obsessões sexuais, religiosas, e compulsões relacionadas.
  • Ferimentos: obsessões de ferir a si mesmo e aos outros, compulsões de verificação.

 

Tratamento do TOC

Tanto a Terapia Cognitivo-comportamental (TCC) quanto diferentes classes de medicamentos podem melhorar os sintomas do TOC. Em estudos que compararam essas 2 modalidades terapêuticas, a TCC mostrou-se superior ao uso de remédios. A técnica de TCC utilizada nas pesquisas foi a Exposição com Prevenção de Respostas (EPR).

A recomendação atual é de combinar os dois tipos de tratamento. Sem uma intervenção terapêutica, as taxas de remissão da doença são baixas.

Na Suécia, pesquisadores acompanharam por mais de 40 anos pacientes com TOC que optaram por não receber tratamento. Sem medicamentos e sem terapia apenas 20% dos indivíduos conseguiram controlar os sintomas.

 

Microchip no TOC

A implantação de eletrodos para estimulação cerebral profunda (DBS do inglês Deep Brain Stimulation) vem produzindo resultados promissores. Em um grupo de 63 pacientes com TOC refratário que receberam DBS, 34 deles tiveram uma redução de 35% dos sintomas. A ideia de que uma espécie de microchip seja capaz de promover a melhora é bastante animadora. No entanto esse é um procedimento invasivo que pode causar hemorragia, infecção, convulsões e morte.

Referências Bibliográficas

American Psychiatric Association. DSM-5: Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. Artmed Editora, 2014.

Deep brain stimulation for treatment of obsessive-compulsive disorder. UpToDate. Waltham, Mass.: UpToDate, 2021. Retrieved on July 19, 2021, from https://www.uptodate.com/contents/deep-brain-stimulation-for-treatment-of-obsessive-compulsive-disorder?search=ocd&source=search_result&selectedTitle=7~150&usage_type=default&display_rank=7

Obsessive-compulsive disorder in adults: Epidemiology, pathogenesis, clinical manifestations, course, and diagnosis. UpToDate. Waltham, Mass.: UpToDate, 2021. Retrieved on July 19, 2021, from https://www.uptodate.com/contents/obsessive-compulsive-disorder-in-adults-epidemiology-pathogenesis-clinical-manifestations-course-and-diagnosis?search=ocd&source=search_result&selectedTitle=1~150&usage_type=default&display_rank=1

Dra. Nadimme Caloba,
Psiquiatria

Apaixonada por Neurocognição, Psiquiatria Geriátrica e outras coisas relacionadas ao Ser Humano.

Mais sobre
Transtornos Mentais

error: Conteúdo protegido!!