Na psiquiatria, o vaginismo tem o nome de Transtorno da Dor Gênito-pélvica/ Penetração.

Com frequência, as portadoras do transtorno possuem um quadro de tensão da musculatura pélvica e dor durante a penetração vaginal. Passam então a temer o momento das relações sexuais com receio de sentir dor. E aí se estabelece um ciclo de sofrimento, em que dor durante a penetração gera medo e medo gera mais dor durante a penetração.

Toda dor durante a relação sexual é vaginismo? Não. Endometriose, DSTs,  atrofia vulvovaginal e muitas outras condições clínicas podem causar um quadro de dores na vagina. É preciso agendar uma consulta com o ginecologista antes de procurar um psiquiatra.

Dificilmente o Transtorno da Dor Gênito-pélvica/ Penetração vem sozinho. É comum que as pacientes tenham também interesse sexual diminuído. Depressão e/ou ansiedade também podem estar presentes.

Importante dizer que os transtornos da sexualidade têm em geral múltiplas causas. Alguns dos fatores causais comumente relacionados ao vaginismo são:

  • Dificuldades na comunicação com o parceiro
  • Inseguranças relacionadas ao próprio corpo
  • História de abuso emocional
  • História de abuso sexual
  • Estressores como luto, desemprego, etc
  • Inibições sexuais relacionadas à religião
  • Inibições sexuais relacionadas à cultura
  • Educação sexual inadequada

O tratamento medicamentoso da patologia é um assunto complicado. Nos Estados Unidos, a FDA aprovou em 2015 o primeiro medicamento para mulheres (antes da menopausa) com desejo sexual hipoativo. A medicação ficou conhecida como “viagra feminino” e foi aprovada com restrições depois de outras 2 reprovações. Tontura, sonolência, náuseas e fadiga são alguns dos efeitos colaterais descritos pelas usuárias do remédio.

Nem tudo é desanimador nesse cenário de tratamento. Em um estudo realizado com 365 casais submetidos à terapia sexual, 65% relataram benefícios. Essas e outras publicações científicas confirmaram que a terapia sexual é uma abordagem segura e eficaz.

Referências Bibliográficas

American Psychiatric Association. DSM-5: Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. Artmed Editora, 2014.

Shifren JL. Overview of sexual dysfunction in women: Management. In: UpToDate, Waltham, MA. (Accessed on March 31st, 2021).

error: Conteúdo protegido!!